Páginas

segunda-feira, abril 19, 2010

AMOR INCONDICIONAL (Fernanda Lopes de Luzia)

REFLEXÃO SOBRE O AMOR CONDICIONAL

Faça uma reflexão em sua vida e pergunte-se se você exercita o amor incondicional. O verdadeiro amor não coloca condições, não coloca distâncias, não coloca empecilhos. O amor verdadeiro é livre, livre do ego, livre da vaidade, livre de querer atender a si mesmo. É altruísta. Pensa no outro, antes de si mesmo. E coloca toda a sua atenção naquilo que ama. Sem apego! É todo ouvido, é todo coração, é todo braços e mãos, pernas e pés... É todo olhos, é todo sentidos... É inteiro naquilo que é.... não é pela metade.

O amor incondicional se entrega, não conhece o medo, e se este se aproxima anula-o em função de algo maior. O amor é coragem, é a força que anima a alma. O amor é alegria e não, cansaço!

O amor verdadeiro não conhece a palavra “Meu”, porque entende que o outro é um ser individual e que somente entrando em “Seu” coração, pode compreender e partilhar. O amor não é o que é por expectativas. Não é temporal. É permanência, é fluidez!

O amor incondicional não conhece a culpa... conhece a des-culpa... conhece o perdão. Porque é livre de julgamentos e condenações. Aproxima, ao invés de afastar. Fala baixo, ao invés de gritar.... Porque a nada e a ninguém quer impor-se.

O amor incondicional é mais ouvidos do que verbo é mais gestos que palavras. O amor vai onde a necessidade está, onde o vazio está. Não escolhe por vezes aquilo que agrada a si mesmo. Mas onde é útil o seu coração. Sabe que os EXCESSOS são prejudiciais.Conhece as medidas certas de SE DOAR, SEM INVADIR O OUTRO.

O amor incondicional transforma... É principe da tolerância e do respeito. É guerreiro sem armas de fogo.É a força da suavidade. é compaixão honesta, caridade profunda e vai além de seus próprios problemas. Porque reconehce que os outros também o têm.

Pergunte-se das suas expectativas mediante àqueles que você diz amar. Pergunte-se se você os ama, quando simplesmente eles o agradam.Pergunte-se se você é capaz de amar, quando ninguém é capaz de fazer o mesmo. Pergunte-se se você é capaz de ser luz na escuridão. De sorrir quando o outro é agressividade.

Pergunte-se se você sabe respeitar o livre arbítrio alheio, e não somente o seu, se é capaz de não impor a sua verdade e compreender a verdade alheia. De entrar no coração de seu filho, irmão, companheiro ou companheira, amigo ou patrão ou vizinho.

Pergunte-se se você se permite conhecer um desconhecido e conhecer a fundo aqueles a quem acha que já conhece há tempos. Pergunte-se se você é capaz de olhar além das aparências, além do superficial e de enxergar o que somente o coração é capaz De deixar de aleijar as pessoas que ama e ajudá-las a aprenderem a andar.

”De dar a outra face como Jesus dizia, de amar seu inimigo

e de largar seu pai e sua mãe por algo maior...”

De compreender que desapegando-se daqueles que ama, você caminha lado a lado com eles. Você os olha na mesma altura dos olhos. Você os sente com a mesma batida do coração!

Perceba que você não é menos ou mais do que aqueles que os geraram, de que você não é menos ou mais do que aqueles que o contrataram.. é simplesmente irmão. E irmãos dá a mão. Se aproxima do coração. Pense!

Deixe de lado suas pobres expectativas ou suas frustrações, ou suas ilusões. Não queira ser nada. Não queira que ninguém seja nada a você. Experimente somente estar presente. Sentir, ao invés de rotular a si e ao outro.

*Tirar a trave de seu olho, ao invés da do seu irmão

Experimentar o amor ao invés da lamentação. A gratidão ao invés dos tantos pedidos de oração. Experimente ser grato por tudo o que é, por tudo o que lhe agora lhe serve - não pelo que você possui...

*Experimente juntar tesouros no coração que nem as traças corroem com o tempo

Experimente as dimensões de seu coração em sua totalidade! Quem acha fazer um favor (condicional) oferece um empréstimo.

Quem ama incondicionalmente, faz de verdade, uma doação!

* Referências Bíblicas citadas acima:

Mt 5:39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra”

Lc 6:32-36 Se só emprestardes àqueles de quem possais esperar o mesmo favor, que mérito se vos reconhecerá, quando as pessoas de má vida se entreajudam dessa maneira, para auferir a mesma vantagem? Pelo que vos toca, amai os vossos inimigos, fazei bem a todos e auxiliai sem esperar coisa alguma.”

Mt 10:37 “Aquele que ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim; aquele que ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim”.

Mt: 7:3-5 “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

Mt 6:19-21: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam nem roubam; porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.”

Outras reflexões sobre o amor:

O amor é inseparável da morte. Sabes que amas porque te esqueceste de que existes; porque morreste para ti mesma, para viveres naqueles que amas. Se eles estiverem bem, então tu estás bem, ainda que estejas mal.Amar é dares-te. É não pensares em ti. É não quereres saber dos teus gostos, do teu bem-estar, do teu descanso, dos teus projetos, do teu futuro, por andares muito ocupada em construir aqueles que te rodeiam. É veres nessa morte para ti mesma o sentido e a plenitude da tua existência. Quanto mais deres de ti, quanto mais te doer o teu amor, mais alegria terás. E mais paz. Porque amas mais. (Paulo Geraldo)

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria.

E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria. O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O Amor nunca falha. Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor. (I Cor – Cap.13)

Nenhum comentário:

Postar um comentário