Páginas

terça-feira, abril 20, 2010

Como acabar com a rotina e esquentar o romance

Ela é o terror dos casais apaixonados. Vive rondando os relacionamentos em busca de uma brecha para se instalar - e das mais variadas formas. Se quer manter seu namoro a anos-luz da mesmice, siga nosso plano de ataque a cinco queixas comuns. E viva feliz para sempre com seu amor.

Por: Daniela Folloni e Daniela Venerando

Como acabar com a rotina e esquentar o romance
Foto Fabio Heizenreder

1. Desligando o botão do trabalho

Não é preciso ser especialista em estatística para confirmar este dado: passamos mais horas mergulhadas nos assuntos profissionais - inclua aí o curso de especialização, a aula de inglês, a viagem para um congresso... - do que cuidando da vida pessoal. E o relacionamento, que entra no segundo pacote, é afetado por essa cruel divisão de tempo. Não apenas porque sobram poucas horas para ele.

Mas também por ser difícil virar a chavinha para o modo "namoro" depois de um dia exaustivo em que você pre-ci-sa despejar a raiva do chefe ou simplesmente dormir. E não vamos condená-la por isso. É natural que o namorado seja seu porto seguro, aquele a quem revela planos profissionais ou até mesmo pede colo numa crise de stress. A cilada é comprometer a relação pelo excesso de trabalho.

"Se só damos atenção a apenas um aspecto da vida, vai faltar fôlego para os demais papéis", avalia a psicóloga Margareth dos Reis. Como sair dessa rotina maçante? Um precisa ajudar o outro a mudar o foco e usar o pouco tempo juntos para se divertirem.

E, quando estiverem naquela fase de dedicação total aos negócios, façam planos para quando a temporada de pressão terminar. Que tal um fim de semana naquela pousada do Roteiros de Charme?

Como sintonizar no canal do amor

• Quem falar de trabalho deve compensar o deslize com um "castigo" bem carinhoso.
• Deixar um recado no banheiro: me encontre aqui depois do expediente.
• Passar a noite num flat no meio da semana.
• Começar o fim de semana com um brinde.
• Planejar uma viagem longa juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário