Páginas

sexta-feira, abril 16, 2010

(continuação) Outros escândalos

Por envolver grande soma de recursos, a área da saúde sempre foi mais permeável a fraudes. Um dos escândalos mais famosos do país nesse setor foi revelado na chamada Operação Vampiro, deflagrada pela Polícia Federal em maio de 2004, para desbaratar a máfia do Sangue.

A quadrilha, formada por servidores públicos, 24 empresários e quatro lobistas, foi acusada de desviar R$ 390 milhões através de fraude em licitações para a compra de hemoderivados e insulina no Ministério da Saúde.

No Rio de Janeiro, onde existia a maior rede de hospitais do Ministério da Saúde, a atuação de cartéis e fraudadores é histórica, assim como as ameaças a diretores que tentam barrar a atuação das quadrilhas. Em 1997, o então diretor do Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse), João Ricardo Silva Pilotto, sofreu um atentado cujos mandantes até hoje não foram identificados. Meses depois, outro médico, José Luis Madrid, foi baleado em circunstâncias suspeitas. Ele investigava, a mando do diretor, denúncias de fraudes na radiologia do hospital.

Outro caso ocorreu no Instituto de Traumato- Ortopedia (INTO), no Rio, onde foi montado um esquema de fraudes milionárias. As investigações começaram em fevereiro de 2003, cinco meses após o novo diretor, Sérgio Côrtes, hoje secretário estadual de saúde, ter assumido o cargo.

Por causa de sua atuação, Côrtes sofreu 15 ameaças de morte e até um atentado. Em dezembro de 2004, o Ministério da Saúde anunciou o resultado da auditoria feita no Into. Foram analisados mil processos de licitação de 1995 a 2002 e o valor dos desvios ultrapassava os R$ 100 milhões. Seis funcionários foram exonerados, um suspenso por 90 dias e outro teve a aposentadoria cassada.

Em agosto de 2005, a polícia federal prendeu 11 pessoas acusadas de integrar duas quadrilhas que, há anos, vinham fraudando licitações para a compra de insumos usados na fabricação de remédios (principalmente do coquetel anti-AIDS) e para a prestação de serviços de lavandeira a hospitais do Rio. Foram presos nove empresários e lobistas no Rio, um empresário indiano em São Paulo e um ex-prefeito de Goiânia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário