Páginas

sexta-feira, abril 16, 2010

Isolado, ninguém olhou por ele: CRISTO REDENTOR é pichado

Maior símbolo carioca amanhece com inscrições nos braços, no peito e no rosto. Polícia Federal va investigar ataque - Isabela Bastos

Vândalos se aproveitaram do isolamento do Cristo Redentor, em decorrência dos deslizamentos de encostas em seus acessos, para invadir o Parque Nacional da Tijuca e pichar a estátua, símbolo da cidade internacionalmente conhecido. Principal ponto turístico do Rio, santuário com romaria religiosa e escolhido uma das sete maravilhas do mundo moderno, o monumento amanheceu ontem com inscrições por toda a sua superfície, sobretudo nos braços, peito e no rosto.

A polícia federal e a 9 DP ao investigar os responsáveis pelo ataque. Segundo o coordenador regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Marcelo Peçanha, o crime aconteceu entre a noite de anteontem e a manhã de ontem e deve ter sido cometido por mais de uma pessoa.

Os pichadores usaram os andaimes que cercam a estátua para obras de reforma e a circularam o Cristo fazendo as incrições, que tinham cunho de protesto e lembravam recentes casos de violência, como o sumiço da engenheira Patrícia Amieiro, na Barra e da irmã do lutador Victor Belford, Priscila Belford, cujo corpo nunca foi localizado.

O pichador fez ainda referência ao desaparecimento de uma menina, identificada apenas como Gisele, que teria sumido na Maré. "Quando os gatos saem, os ratos fazem a festa"; "Reage Rio"; "Cadê a engenheira Patrícia?" e "Cadê a Priscila Belford?" eram algumas das frases.

As pichações aconteceram num momento de fragilidade do parque que está fechado há mais de uma semana por causa de 283 quedas de barreira. O ataque coincidiui ainda com a visita, ontem, da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

A ministra anunciou mais R$ 10 milhões em recuros para a recuperação das encostas devastadas e disse que será feito um plano de contingência para criar mecanismos de controle de circulação ou mesmo de evacuação da unidade de conservação em caso de chuva forte.

A prefeitura já havia anunciado R$ 5 milhões em obras na área. Depois de percorrer de helicóptero a área e circundar o Cristo, a ministra lamentou o ataque:

- É um comportamento de anticidadania. A cidade do Rio e do Brasil não merecem isso.

Irritado, o prefeito Eduardo Paes determinou à Comlurb que ajude a empresa que faz a reforma da estátua a limpar as pichações.

Paes garantiu que a prefeitura vai se empenhar em descobrir os culpados:

- Nós vamos reforçar a proteção ao Cristo. Esses marginais vão responder por seus atos, serão presos. Isso é caso de lesa-pátria.

Todas as câmeras de vigilância do Cristo estão desligadas desde os temporais da semana passada. Para o analista ambiental do ICMBio, Rogério Rocco, os bandidos podem ter se aproveitado da troca de turno dos vigilantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário