Páginas

domingo, abril 18, 2010

Solidão: Incapacidade de Amar:: Osvaldo Shimoda ::

Existem 3 coisas às quais corremos atrás durante toda nossa vida: FELICIDADE, AMOR E PAZ INTERIOR. Felicidade no final de cada experiência; Amor em nossos relacionamentos e Paz de espírito. Mas estamos fadados ao fracasso.

E por quê?
Porque buscamos essas três coisas fora e não dentro de nós. Sendo assim, a solidão é um estado de alma, um vazio interior, uma insatisfação que muitos buscam preencher externamente, através de bens materiais (carros, roupas, aquisição de uma casa) trabalho (muitos se tornam workaholics, viciados em trabalho), comida, sexo, jogos, etc.

Daí as queixas mais comuns de pacientes que me procuram no consultório por sofrerem de solidão: "Sou fechado, sério, me isolo das pessoas, não tenho amigos e nem uma vida social; "Sou casada, mas infeliz em meu casamento, sinto solidão, pois não me sinto amada, compreendida"; "Gostaria de casar, constituir uma família, mas não tenho sorte no amor, meus relacionamentos amorosos não dão certo"; "Tenho tudo: marido bom, filhos saudáveis, um ótimo emprego, mas sinto muita solidão".

Portanto, há pessoas que, mesmo rodeadas de gente, sentem uma solidão profunda. Há ainda casais que sofrem do que chamo de solidão a dois: apesar de estarem juntos, sentem-se sós, há um vazio, um tédio interminável.

Em muitos casos, por mais que a pessoa solitária busque preencher esse vazio da alma fora, não resolve sua solidão, pois o vazio continua presente. Isso é uma prova do quanto a pessoa está alienada, distante de si mesma, de sua essência divina, de sua verdadeira natureza.

Na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) - a Terapia do Mentor Espiritual, abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim, o mentor espiritual (ser desencarnado diretamente responsável pela nossa evolução espiritual) do paciente irá lhe revelar a causa verdadeira de sua solidão, bem como solucionar o problema.

Nessa terapia, muitos pacientes descobrem que estão fechados à vida, ao amor, por ainda estarem presos pelos laços do passado (são bloqueios emocionais oriundos de vidas passadas).


Ao passar pela regressão de memória, a causa da solidão é desvendada, rompendo a barreira da memória que o impedia de entrar em contato com a experiência traumática, causadora de seu sintoma. É importante informar aqui que o mentor espiritual do paciente o conhece profundamente, pois vem acompanhando-o em várias encarnações, sabendo se o mesmo tem -ou não-, estrutura emocional para regredir ao seu passado e revivenciar aquela experiência traumática. Desta forma, se tiver condições, o mentor irá lhe revelar; caso contrário, não permitirá que regrida.

Nunca é demais lembrar a máxima secular de Cristo "Conhecereis a Verdade e a Verdade Vos Libertará". Sem dúvida alguma, ela se aplica perfeitamente a essa terapia.

Certa ocasião, uma paciente veio a descobrir na TRE - através de seu mentor espiritual-, que seu estilo de vida solitário na verdade vinha acompanhando-a em várias encarnações, inclusive na existência atual, porque não conseguia se desligar de uma experiência traumática de uma existência passada: fora abandonada pelo marido e acabou morrendo louca e sozinha. Portanto, a causa de sua solidão, além do desamor, estava em seu auto-abandono que trazia dessa vida passada.

Outros ainda descobrem na regressão de memória que a dificuldade de fazer amizade, ou mesmo de se envolver afetivamente é conseqüência do medo da intimidade, da entrega. Portanto, o medo de se entregar advém do temor de vir a sofrer novamente por ter confiado no sexo oposto. O abandono e a traição são as principais causas que levam as pessoas a não confiarem em ninguém.

Resultado: solidão e permanente estado de déficit de amor. Sendo assim, o desamor por si mesmo e pelos outros diz que essa pessoa é disfuncional do ponto de vista amoroso, ou seja, sua capacidade de dar e receber amor está comprometida.

Não foi por acaso que Freud, o pai da psicanálise, definiu Felicidade como "sexualidade e sociabilidade naturais, espontânea satisfação pelo trabalho e capacidade de amar".

Neste aspecto, a TRE, através do mentor espiritual, busca resgatar ao paciente sua capacidade de amar, ou seja, ser funcional do ponto de vista amoroso.

Quero finalizar esse artigo com um lembrete às pessoas solitárias: "Se você está sendo ruim consigo mesmo há muito tempo, um pingo de amor faz uma diferença enorme. Experimente e verá"!

Nenhum comentário:

Postar um comentário