Páginas

segunda-feira, abril 19, 2010

A vida virtual - como ela é - entrevista

Diretora de Tv fala sobre comportamento jovem, febres da internet e vídeos que viraram mania na web - Igor Fidalgo

Joanna Mamede começou a dirigir programas de TV em 2009, mas já produzia videoclipes e documentárioshá 4 anos. Foi da experiência com os filmes-reportagens etnográficso que ela mergulhou no mundo on-line para dirigir o programa "Aldeia Viral", no ar às quartas-feiras na Oi TV.

Mas ela tem uma visão particular sobre o mundo on-line: "a internet muda o comportamento das pessoas. Não a considero um ambiente virtual, pois as pessoas de lá são reais. O comportamento é que pode ser criado e, isso por mais que seja divertido, afeta nossas vidas", explica.

O "Aldeia Viral" produção da Conspiração Filmes, fala sobre isso tudo. Para nós, ela contou ainda um pouco mais.

Qual é o formato do programa?

São 30 min frenéticos, como é a internet. Nossa vida é fragmentada: vivemos em abas. Como em um navegador, em que trabalhamos com várias abas abertas e damos atenção àquela que estiver ativa, isso também acontece na nossa vida.

Para tornar dinâmico o programa, trabalhamos com cinco apresentadores - os "antenas". São jovens inteligentes que falam sobre o que sabem melhor. Tem um poeta da nova geração, uma estudante de mídia - que diz que não mora aqui, e, sim, na internet - um skatista que tem uma revista on-line, um nerd assumido e uma estudante de moda que foi selecionada pela web.

Todos eles são mediados por uma apresentadora e todas as cabeças são gravadas via webcam. Temos inserções divertidas no meio dos blocos e textos que ficam passando na tela, tudo isto fazendo uma conexão à chuva de informações que rola na internet.

Quais os temas retratados no programa?

Dos mais sérios aos mais frugais. Tivemos um sobre o que fazer quando você termina com o namorado: apaga ou não o perfil do seu orkut. São blocos divertidos e soltos, mas o foco do programa são tendências e comportamento jovem.

No programa sobre o novo formato do livro, por exemplo, extrevistamos a ensaista Heloisa Buarque de Holanda, autora da antologia digital "enter", projeto de 2009que publicou textos, imagens, vídeos e aúdios de vários jovens escritores virtualmente.

Ao contrário da linha dura da profissão, que considera que as novas mídias vão acabar com os impressos, ela é uma entusiasta da integração. São contribuições assim que norteiam o programa.

Mas há tambem investigações específicas sobre fenômenos da web, não?

Sim, como as entrevistas de blogueiros que fizemos com tratamento de superstar. Afinal, eles são celebridades da web. Mas os temas que mais divertem os antenas são os que viralizam, como gírias, febres, vídeos... Tipo: "O que faz um vídeo ter milhares de acessos?"

Isso não é uma pergunta específica do programa, mas é o nosso pano de fundo, você entende?

Como um vídeo emplaca na web?

Não existe fórmula específica. Ele precisa "cair na mão" da pessoa certa, que tem credibilidade com seus contatos, por lá ter espalhado coisas quentes. Tem vídeos que já estão na rede há muito tempo e de repente viram febre. É claro que o formato ajuda, mas é uma questão mais circunstancial.

Na etapa de pesquisa para o programa, quais foram seus sites mais acessados?

Google, claro, não há vidasem ele. E o youtube. Tanto virais, como vídeos pessoais e cenas de fimles, tudo serviu de referência. O knowyourmeme.com conta a historia dos melhores virais da web.

Mais projetos a caminho?

Estou participando de um documentário colaborativo que será feito em todos os continentes , o "one day on earth". Eles procuraram profissionais de cinema e TV através do Vimeo para gravar uma historia de cunho social, sobre o seu país, todos eles ao mesmo tempo, no dia 10/10/10. O projeto foi apresentado para a ONU na última semana. Vamos ver no que vai dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário