Páginas

sábado, junho 26, 2010

(continuação) Rejeição nas escolas após completarem 8 anos

Irmã Aparecida mantém desde 1999, com outras freiras, uma escola destinada só aos rest´avec. Atualmente, atende a 60 crianças. Para convencer os responsáveis a "emprestá-las" por um período, as freiras dão alimentos aos pais adotivos. Essas crianças e adolescentes, mesmo que quisessem, não seriam admitidas em outras escolas - depois dos 8 anos, elas não são mais aceitas na rede.

- Temos de trabalhar com as famílias e não apenas com as crianças. E, para isso, o incentivo tem de ser também com palavras - descreve a religiosa.

A embaixatriz Roseana Kipman, que está no Haiti desde 2006, afirma que numa sociedade com poucas oportunidades para seus membros, são as famílias que escolhem quem estuda ou não. E os rest´avec, na maioria das vezes, são preteridos.

- As famílias escolhem quem julgam que tem mais possibilidade de ajudá-las mais tarde - disse.

A taxa de analfabetismo no Haiti é uma das maiores do mundo. Da população acima dos 15 anos, somente 52,9% são alfabetizados - no Brasil, esse percentual atinge 88,6%. Irmã Aparecida, acostumada a lidar com a tragédia diária do país onde vive, só lastima que depois do terremoto o número de rest´avec vai aumentar - e muito.

- Infelizmente,, é o que vai acontecer. Afinal, muitos pais morreram...

O tenente-coronel Adriano de Souza Azevedo, responsável pela ação social desenvolvida pelo Exército Brasileiro no Haiti, diz que a falta de carinho com as crianças é uma das coisas que mais chocam os militares.

- Quando chegamos a uma comunidade, sempre aparecem crianças para pegar na nossa mão e perguntar se não queremos ser o pai delas. É de cortar o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário