Páginas

quarta-feira, novembro 03, 2010

Arnaldo Jabor é fã de seriados da TV americana


Dois posts abaixo, o leitor Dudu74 escreveu o seguinte comentário: "Parece que houve um certo gosto em chochar o filme do Jabor." O comentário foi motivado pela divulgação aqui no blog da bilheteria do primeiro fim de semana de "A suprema felicidade", novo filme de Arnaldo Jabor, em cartaz  - modestos 64 mil espectadores. 
 
Se captei corretamente o significado de "chochar", Dudu74 me imagina torcendo pelo fracasso do filme. Ledo engano. Torço e muito pelo sucesso da volta de Jabor ao cinema. Uma cinematografia com Arnaldo Jabor em atividade é sempre melhor que uma sem o seu trabalho.
 
Jabor esteve nesta terça-feira no "Estúdio i", onde decifrou o enigma dessa charada. "A suprema felicidade" foi lançado em 166 cinemas, como se fosse um blockbuster qualquer. No Rio de Janeiro, por exemplo, está bombando nos cinemas da Zona Sul, mas tem um desempenho pífio na periferia. Não é um filme para todas as classes, como "Tropa de elite 2". 

Trata de uma temática que só interessa a parcela do público. Lembro-me bem do lançamento de "Eu te amo", aqui no Rio, em 1980. Foi exibido num único cinema, o Leblon. 

Resultado: filas em todas as sessões e as pessoas se esbofeteando na porta para conseguir ver o filme. Três semanas depois, com o boca a boca já solidificado, o circuito foi aberto. "A suprema felicidade" merecia um tratamento desses. Mas a indústria de hoje não permite um lançamento pequeno. É mortal para qualquer filme.

De qualquer forma, "A suprema felicidade" deve alcançar com folga a média de alguns bons filmes brasileiros deste ano, em torno de 250 mil espectadores. Tem o feriado de Finados para ajudar e, com alguma paciência dos exibidores, o feriadão de 15 de novembro.

Nos bastidores do programa, Jabor revelou uma insuspeita paixão: seriados de TV. Entusiasta de "Família Soprano" e "House", ele disse que não ligava muito para "Lost", até que seu filho comprou a série completa em DVD. "Fiquei viciado". 

Jabor, agora, procura tempo para conhecer "Mad men". "Dizem que é muito bom", comenta. "Os seriados americanos se tornaram a nona arte", conclui. Bem, todo mundo sabe que a sétima arte é o cinema e a oitava... qual seria mesmo a oitava arte?

Nenhum comentário:

Postar um comentário