Páginas

quarta-feira, novembro 03, 2010

Estado do Rio registra 43 casos da superbactéria KPC

Nos últimos dois meses foram 30 pacientes infectados em hospitais de redes públicas e particulares

O Estado do Rio de Janeiro já registrou 43 casos de pacientes infectados pela superbactéria KPC em hospitais públicos e estaduais, de janeiro a outubro deste ano. Um aumento de 35% em relação ao mesmo período de 2009, quando foram computados 32 doentes.

Segundo o superintendente de Vigilância Ambiental e Epidemológica da Secretaria Estadual da Saúde, Alexandre Chieppe, cerca de 70% do total ocorreu nos últimos dois meses de 2010.

No entanto, apesar do aumento, o superintendente afirma que não há motivos para alarde e tranquiliza a população do Estado.

"É claro que as bactérias super-resistentes são muito preocupantes, mas o surgimento delas não é novidade. Fora do ambiente hospitalar, não vejo nenhuma preocupação com relação à superbactéria KPC", afirmou Chieppe ao site Globo.com.

Até o final de outubro, a superbactéria já causou a morte de 19 pessoas em todo o país. No Distrito Federal, foram registrados 18 casos de óbitos e em Pernambuco houve uma morte, segundo as secretarias de saúde dos respectivos Estados.

Apenas por contato direto

A contaminação pela superbactéria não ocorre por via respiratória, mas apenas pelo contato direto com um indivíduo portador da KPC. Com isso, Alexandre Chieppe recomenda fazer uma boa higiene das mãos e evitar a automedicação.

"Lavar as mãos com água e sabão é o suficiente, mas, se a pessoa puder fazer uso do álcool em ambientes hospitalares, é melhor ainda. E é muito importante que as pessoas não tomem antibióticos indiscriminadamente; apenas com orientação médica", aconselhou o superintendente.

Para conter o uso indiscriminado de remédios sem orientação médica, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilãncia Sanitária) estipulou multa de R$ 1,5 milhão para as farmácias que venderem antibióticos sem receita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário