Páginas

quarta-feira, novembro 03, 2010

Feira de invenções de escolas de ensino técnico no Rio soluciona problemas do cotidiano

Rodrigo Gomes Divulgação
RIO - Soluções das mais inusitadas para os problemas do cotidiano serão apresentadas, nesta quarta (3) e quinta-feira (4) das 15h às 21h, no Sesc de Madureira, por alunos do ensino técnico público e privado do Rio de Janeiro, que participam da II edição da Projetec Rio. 

Entre alguns dos exemplos criados pelos jovens cientistas, estão um carro movido a água do mar, um robô de 1,80 de altura que é controlado pela Internet, um sinal de trânsito adaptado para deficientes visuais e uma pá ergonômica que possibilita recolher o lixo sem a necessidade de se abaixar. 

Alunos da Escola Técnica Rezende-Rammel desenvolveram um projeto de carro que funciona usando água como 70% do combustível. O veículo funciona a hidrogênio que é obtido a partir de um processo eletroquímico no qual se separam as moléculas de hidrogênio das do oxigênio através de uma célula. 

- Esse sistema diminui a emissão de gases poluentes. Além de aumentar o desempenho do automóvel, sem pesar no bolso. Para fazer o protótipo foram gastos R$ 1.500. Quase todo o carro foi construído a partir de matérial recolhido de ferro-velho. Um dos objetivos do nosso projeto é mostrar que o lixo pode ser transformado e virar algo que nunca imaginamos que seria possível - explica o coordenador do projeto, Everton Salomão. 

Já outros estudantes construíram um robô de 1,80 de altura que pode ser controlado através da Internet. Com o equipamento é possível ter acesso as imagens em tempo real, podendo falar e ouvir outras pessoas que estejam geograficamente distante. 

- Imagine conhecer um museu do outro lado do mundo sem sair de casa e interagir com as pessoas em um corpo de humanóide em tempo real - diz Everton.
" Imagine conhecer um museu do outro lado do mundo sem sair de casa (Everton Salomão) "

Quando há surtos na rede elétrica da concessionária, como pico de tensão e falta de fase, é comum equipamentos eletrodomésticos apresentarem algum problema, e até mesmo pararem de funcionar. Para reduzir o dano, alunos da escola Eletctra criaram um circuito que temporiza o religamento do equipamento após um determinado período em que houve ausência de energia, protegendo-o do pico de tensão que normalmente ocorre. 

Durante o evento, que é aberto ao público, é possível conhecer os projetos desenvolvidos com diferentes tecnologias e que abrangem diversas áreas. Os visitantes podem testar equipamentos e ver os produtos criados pelos alunos. 

Os trabalhos foram elaborados durante um ano por estudantes dos cursos de Eletrônica, Mecânica, Eletrotécnica, Informática, Química, Telecomunicações, Mecatrônica, Petróleo e Gás e Gestão Empresarial. 

A ideia é desenvolver produtos tecnologicamente inovadores ou melhorar e baratear produtos que já existem no mercado, mas não são acessíveis a todos. Também há opções para tornar o dia a dia mais simples e até produtos que podem melhorar a qualidade de vida de pessoas com necessidades especiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário