Páginas

sexta-feira, novembro 26, 2010

PREPARE-SE: A GUERRA FRIA ESTÁ DE VOLTA

No auge da crise entre EUA e Cuba, no início da dácada de 1960, sua missão é matar o presidente cubano Fidel Castro. Daí parte Call of Duty: Black Ops, game recém-chegado game às lojas e que tirou de Modern Warfare 2 o título de jogo mais vendido no dia de lançamento. Em 24 horas, mais de 7 milhões de cópias já haviam sido vendidas. Com mais 4,5 milhões de pedidos em pré-venda, o jogo agora é soberano como o mais bem-sucedido na data de estreia.

A série Call of Duty é um dos maiores sucessos da produtora Activision, e Black Ops, sétimo jogo da franquia, provoca discussões desde que foi anunciado, em abril. Disponível para todos os consoles e também para PC, o jogo é uma continuação de Call of Duty: Word at War. 

O game aposta em combates cheios de realismo, com um visual impressionante. Pela primeira vez, é possível, por exemplo, assumir o comando de helicópteros. Na trama, o jogador assume o comando da operação Black Ops durante a Guerra Fria, nos anos 1960, em um enredo que mistura fatos históricos reais com uma boa dose de fantasia. Há batalhas pelas praias de Cuba, nas montanhas geladas soviéticas e até na selva do Vietnã.
 
O jogador assume o papel de vários personagens diferentes. Do trabalho inicial com Fidel até um arriscado resgate em uma prisão soviética, o jogo é feito de missões secretas, geralmente com infiltraçaõ nas linhas inimigas.Talvez o ponto mais forte seja seu multiplayer. 

São diversos modos de jogo disponíveis para vários jogadores, alguns deles exclusivos para combates on-line. Para construir o seu soldado na rede, é possível personalizar desde roupas até as armas. As vitórias dão direito a mais pontos de recompensa, que podem ser trocados por novos equipamentos e acessórios.

- DESTAK JORNAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário