Páginas

sábado, dezembro 18, 2010

Aposentar ou não aposentar, eis a questão Redação do Diário da Saúde

Aposentadoria "incentivada"

Os trabalhadores que aceitaram se aposentar antecipadamente não estavam dispostos a considerar essa opção se não tivessem sido pressionados a isso no seu local de trabalho.

Esta foi mais uma vez a conclusão de um estudo abordando o tema, muito em voga nos últimos 20 anos, sobretudo nos processos de privatização.

Todo o mundo deveria decidir se quer continuar a trabalhar com base em suas habilidades e desejos, e não ser forçado a isso," sugere Sigal Naim, da Universidade de Haifa, que realizou este estudo.

Linha de chegada artificial

O estudo qualitativo envolveu entrevistas em profundidade com homens, de 3 a 5 anos depois que eles aderiram à aposentadoria antecipada.

A pesquisa constatou que os aposentados veem a idade da aposentadoria como um "linha de chegada" artificial, que se destina principalmente ao equilíbrio das empresas: nenhum deles se considerava velho e todos sentem que ainda têm uma vida longa e agradável pela frente.

O principal sentimento expresso por quase todos os participantes, mesmo entre aqueles que optaram voluntariamente pela aposentadoria antecipada - em oposição à aposentadoria antecipada forçada - era de profunda decepção com o emprego que deixaram.

A pesquisadora ressalta a centralidade do emprego na vida dos entrevistados, mesmo muito tempo após a aposentadoria, algo que foi expresso na maneira como eles descrevem a si mesmos.

Quando ela lhes pedia para contar a sua história de vida, a maioria dos entrevistados descreveu a si mesmo em detalhe em termos de carreira profissional - apenas alguns falaram da família e mesmo assim em uma ou duas frases.

Máscara

O estudo revela também que, mesmo quando os participantes manifestam satisfação com a aposentadoria e quando optaram por se aposentar porque o trabalho não lhes agradava mais, isto era, de fato, uma capa para acobertar a história verdadeira.

Esse acobertamento - voltado sobretudo para eles próprios - destinava-se a enfrentar a difícil realidade que lhes foi imposta: a realidade da decepção, um sentimento de insulto e da compreensão de que, se eles se recusassem a se aposentar, seus direitos de pensão poderiam ser prejudicados.

"Esta é na verdade uma espécie de máscara para si próprios, que os ajuda a construir uma nova realidade com a qual eles possam viver," explica a pesquisadora.

Fim das aposentadorias compulsórias

Com estes resultados em mãos, a pesquisadora recomenda que se deve encorajar uma política de aposentadoria tardia ou acabar com as aposentadorias compulsórias.

"Deve-se encorajar uma política de aposentadoria tardia ou de cancelamento das aposentadorias compulsórias. Desta forma, o rótulo de 'idoso' será mantido à distância, e os pesados sentimentos vivenciados pelos aposentados podem desaparecer, juntamente com o estresse que é sentido quando a época da aposentadoria se aproxima," diz ela.

"Isto faria com que a transição de uma vida baseada no trabalho para a aposentadoria fosse mais suave e menos abrupta, e apenas aqueles que se interessam verdadeiramente optariam pela aposentadoria antecipada. Isto permitiria uma compensação para os empregados que continuarem e perseverarem no trabalho, o que lhes garantiria melhores condições financeiras quando finalmente decidissem se aposentar," conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário