Páginas

quarta-feira, setembro 07, 2011

Entre o bar e o salão de beleza

Empresária carioca cria negócio que une bebidas e comidas de bar a serviços de cabeleireiro e manicure - Juliana Elias 
 
Editora Globo
 
O Boteco de Mulher foi inaugurado em 2009 
e começa agora com as primeiras franquias
 
Lugar para homem relaxar é no boteco. Para a mulher esfriar a cabeça, é no salão de beleza. A administradora de empresas carioca Cláudia Moscardini, 42 anos, partiu desse raciocínio para criar seu negócio próprio. Mas desenvolveu um espaço que garante às clientes acesso às duas “modalidades” de relaxamento.

O resultado foi o Boteco de Mulher, um salão de beleza localizado no bairro do Catete, no Rio de Janeiro. Além de oferecer todos os serviços de um salão convencional, o estabelecimento é também um bar com quitutes e bebidas alcoólicas e não alcoólicas. A grande maioria dos clientes são mulheres, naturalmente. “Mas tem muito marido que vai acompanhar a esposa e acaba tomando uma cervejinha enquanto espera”, conta Cláudia.

No cardápio estão quiches, sanduíches naturais, tortas, amendoim, refrigerantes e, como não poderia faltar em nenhum bar, cerveja. “O que mais sai são as quiches”, conta a dona. “E, de bebidas, na verdade, as taças de prosecco!”.

A ideia, explica ela, não é transformar o ponto em um grande bar, mas sim em um salão que se diferencie da concorrência. “Estamos em um local onde já tem muitos salões, então eu quis fazer algo que fosse diferente”, diz Cláudia.

E não é só no bar que está o diferencial. Há outros detalhes e cuidados pensados pela frequentadora de salões, como uma prateleira que reúne todos os esmaltes expostos – “é tão ruim ter que ficar procurando nas caixinhas das manicures” – e caprichadas poltronas de massagem no lugar das cadeiras para as clientes – “sempre achei fazer a mão uma coisa muito desconfortável.”

Cláudia conta com a ajuda de uma gerente operacional, que cuida do abastecimento do boteco. Outra funcionária aquece os lanches, serve as bebidas e lava a louça. 
 
“Nós fizemos uma pequena estação, com geladeira e forno, para esquentar a comida. Não cozinhamos nada aqui, compramos tudo pronto”, diz a empresária.


Dilvugação
Cláudia Moscardini, dona do salão
 
Todos estes detalhes, do bar às poltronas, serão reproduzidos nas franquias da rede, modelo de expansão que Cláudia está iniciando agora. 
 
“A primeira franquia está quase pronta para ser aberta, ainda maior que a nossa loja, e há outra em preparação para abrir em janeiro”, diz a empresária.
A expansão, no entanto, será cuidadosa. Embora já tenha recebido, com as primeiras propostas, convites para levar a marca para capitais como Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador, Cláudia quer primeiro ganhar espaço no Rio, para depois se aventurar mais longe. 
 
“Nunca trabalhei com isso, então quero ter o tempo de aprender a lidar com tudo também”, diz. “Além disso, quero poder participar ativamente das franquias, ajudando no recrutamento e nos negócios e dando apoio de diferentes formas.”

Até 2008, Cláudia ocupava o cargo de superintendente de recursos humanos em um banco, mas foi demitida em um grande corte feito no final daquele ano, por conta da crise internacional. Dois meses depois, seu marido, que trabalhava na área de informática, também perdeu o emprego. 
 
“Eu estava com 40 anos, a idade começava a pesar, meu cargo era de difícil recolocação”, conta. “Era a hora de decidir se procurava outro emprego ou se abria um negócio.”

Seguiu pela segunda opção. Passou meses se revezando entre cursos de empreendedorismo e salões de beleza por toda a cidade, até chegar ao modelo de seu boteco-salão, inaugurado em dezembro de 2009.

“Não foi uma escolha fácil, mas foi acertada”, diz Cláudia. “É diferente de trabalhar para uma empresa. É como um filho nosso, e é muito bom vê-lo crescendo.”

Quanto custar ter uma franquia Boteco de Mulher
Investimento inicial R$ 400 mil
Capital de giro R$ 25 mil
Taxa de franquia R$  90 mil
Taxa de royalties 8% do faturamento bruto
Taxa de publicidade 3% do faturamento bruto
Faturamento médio mensal R$ 60 mil
Prazo médio de retorno 18 a 24 meses
Número de funcionários  mínimo de 15
Área da unidade  100 m²
Tempo de contrato  48 a 60 meses
Contato  http://www.botecodemulher.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário