Páginas

terça-feira, março 20, 2012

Acupuntura é útil contra dor nas costas crônica, diz estudo da USP

Especialistas do Hospital das Clínicas recomenda associá-la a tratamento convencional  

Lilian Fernandes


Dor nas costas: acupuntura alivia mal que acometerá 90% das pessoas ao longo de suas vidas
Foto: Gustavo Stephan
Dor nas costas: acupuntura alivia mal que acometerá
90% das pessoas ao longo de suas vidas Gustavo Stephan
RIO — Mal que acometerá cerca de 90% dos brasileiros em algum momento de suas vidas, a lombalgia, ou dor na coluna lombar, torna-se ainda mais cruel quando é crônica — o que ocorre em 1/3 dos casos. Mas um estudo do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP traz mais um alento a quem sofre, sofreu ou sofrerá com o problema: associada ao tratamento convencional, a acupuntura ajuda a reduzir significativamente a dor.

No estudo realizado pelo Centro de Acupuntura do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC, foram avaliados 60 pacientes com lombalgia crônica, dos quais 28 receberam o tratamento convencional (com uso de analgésico, exercícios e recomendação de manter as posturas corretas nas atividades diárias) e placebo (uma simulação de eletroacupuntura) e 32 foram submetidos ao tratamento habitual e a sessões de acupuntura com agulhas.

— Queríamos dar um respaldo científico à utilização da acupuntura como auxiliar no tratamento da dor lombar crônica e conseguimos: a curto prazo, tivemos uma melhora significativa — diz o fisiatra João Amadera, responsável pelo estudo. — Após o término das seis sessões de acupuntura, verificamos que o grupo que teve o tratamento convencional associado à acupuntura apresentou uma queda significativa na escala de dor.

No grupo que recebeu placebo e tratamento convencional, a melhora da dor foi de cerca de 1 ponto, numa escala de 0 a 10, explica o médico. No que recebeu também tratamento com a técnica chinesa milenar, o alívio representou, em média, 3 pontos — o que é muito significativo clinica e estatisticamente, acrescenta.

No início da pesquisa, os participantes do estudo tinham dor avaliada pelo menos no grau 4 da mesma escala. A pesquisa durou sete semanas, e a melhora dos pacientes ainda se fazia sentir três meses após o término do trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário