Páginas

sábado, março 10, 2012

Na hora da escolha do chocolate, o melhor para a saúde é o amargo

O chocolate surgiu como uma bebida medicinal e religiosa usada pelos povos astecas e maias que viviam na região da América Central há vários séculos. A fruta, com suas sementes e polpa, era utilizada para preparar a bebida. 

O líquido era reservado para os homens adultos da alta hierarquia indígena. Com o passar dos séculos, a bebida evoluiu e tornou-se hoje um alimento apaixonante. Na hora da escolha para o consumo, no entanto, não é todo o chocolate que faz bem à saúde.

O chocolate semiamargo, escuro, tem excelentes qualidades medicinais. Ele é obtido através da fermentação das sementes secas. Elas são processadas para formar um líquido viscoso e pastoso. Por pressão mecânica a gordura é em parte removida e se obtém o chocolate em pó. Para ser transformado no chocolate que conhecemos, esse pó ganha manteiga de cacau e açúcar, transformando-se no semiamargo, rico em antioxidadente e com excelentes qualidades medicinais. Ele tem ação anti trombótica e protege o revestimento das artérias.

Já o chocolate alcalinizado, o que é fartamente consumido, preparado com produtos químicos para tirar a acidez do chocolate amargo e acrescido de leite e açúcar, não tem qualidades nutricionais. 

O branco, por exemplo, é preparado com muita gordura, açúcar e é altamente engordativo. Estudos comprovam que a adição de leite ou creme de leite reduz substancialmente suas propriedades antioxidantes.

Na época pré-menstrual ele ajuda a melhorar os sintomas de irritabilidade, depressão e ansiedade da TPM, mas também pode viciar. O chocolate liga-se a receptores canabinoides nas zonas do cérebro junto ao hipotálamo. O odor do chocolate atinge os receptores cerebrais e acalma a vontade de ingeri-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário