Páginas

sexta-feira, maio 04, 2012

Distrações

A vida da maioria das pessoas é atribulada e cheia de compromissos. Entre reuniões, cursos, deslocamentos e projetos variados, a semana passa. O final de semana é pleno de atividades. Televisão, cinema, shows e passeios são apenas alguns dos programas disponíveis.

A Internet também consome um tempo considerável. Além de ser instrumento de trabalho e de estudo, por vezes ela se converte em um vício. Consultar novas mensagens e navegar por diversos sites torna-se uma
compulsão. Na verdade, o mundo moderno é rico de distrações. Entre múltiplos programas e compromissos, a criatura não percebe o tempo passando.

Envolvida com variados eventos, ela vai de roldão. Não se desconhece a necessidade de atender os compromissos da vida. É preciso trabalhar, estudar e acompanhar as inovações que surgem a todo o momento. Entretanto, urge reconhecer que a finalidade da vida não se cinge a correr atrás de cargos, de coisas ou de distrações.

Por vezes é necessário gastar um tempo para se perceber. Qual o real significado do que se vive? São realmente necessárias tantas atividades? Elas não constituem uma forma de escapar da própria realidade íntima?

Lembre de que você é um Espírito imortal. Já animou inúmeros corpos. Já foi rico e pobre, homem e mulher, ignorante e ilustrado. Após tantas experiências, ei-lo novamente na Terra. Mas você não é daqui.

Nasceu com a finalidade de se recompor perante a própria consciência, de reparar antigas faltas, de romper com velhos hábitos. A reencarnação é uma oportunidade preciosa. Há uma programação muito séria envolvida.

Você contou com o auxílio de amigos mais adiantados para elaborar a rota e a finalidade de sua atual existência. Assim, não gaste a vida em futilidades. Asserene o seu coração e procure menos distrações. Distraindo-se em excesso, você corre o risco de desperdiçar uma oportunidade valiosa de elevação e libertação. Trabalhe, estude e divirta-se. Mas não utilize subterfúgios para escapar de si próprio.

Gaste um tempo observando seu caráter, seus gostos, suas facilidades e dificuldades. Reflita sobre o contexto em que você está inserido. Repare em seus familiares, em seus colegas de trabalho, em todos que o rodeiam.

Medite sobre a vida e descubra como você pode ser melhor. Pense o que em seu temperamento não é agradável e causa embaraços e dores, a você e aos outros.

Esforce-se por retificar o que não for agradável. Experimente a ventura de ser útil. Aprenda a auxiliar o próximo, sem esperar nada em troca. Dê atenção aos idosos e doentes de sua família. Cultive virtudes como bondade, paciência e ternura.

Adote um patamar nobre de conduta e não se afaste dele. Saiba que as dificuldades que se apresentam em sua vida são desafios. Elas não se destinam a causar-lhe sofrimento, mas a fortalecê-lo no bem. Nunca se permita fazer nada que lhe cause vergonha. Você jamais conseguirá fugir de si próprio. Toda tentativa de se enganar será passageira e representará apenas perda de tempo.

Lembre de que todas as coisas exteriores ficarão para trás. Mas o coração asserenado pelo cumprimento do dever você levará consigo para sempre. Ele será o seu tesouro colocado fora do alcance dos ladrões e das traças.
Pense nisso.

Redação do Momento Espírita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário