Páginas

quarta-feira, março 27, 2013

Dengue

Avanço do vírus tipo 4 da dengue alerta vigilância sanitária do DF

Da Agência Brasil, em Brasília

O governo do Distrito Federal (DF) aumentou as ações de combate à dengue e reforçou o alerta à população sobre a necessidade de eliminar os focos do mosquito Aedes Aegypti. A preocupação, segundo as autoridades, é em relação ao aumento da incidência do vírus tipo 4, de circulação recente no país, em regiões próximas.
Há uma epidemia de dengue em municípios goianos. De acordo com a secretaria estadual de Saúde de Goiás, somente em Goiânia foram confirmados 36.045 casos de dengue este ano, sendo que 71% correspondem ao tipo 4.

A subsecretária de Vigilância à Saúde do Distrito Federal, Marília Cunha, explica que este tipo de vírus pode causar complicações mais graves. "É um vírus que causa complicações mais agressivas, com maiores chances de o paciente ter febre hemorrágica, que pode ser fatal se não for diagnosticada e tratada apropriadamente", explicou.

Ampliar

Conheça alguns mitos e verdades sobre a dengue 21 fotos

O mosquito infectado pode não transmitir a doença 
 
VERDADE: o vírus se aloja na saliva do mosquito, que é utilizada durante a picada para sugar o sangue. A chance de transmissão, nestas condições, é grande e praticamente inevitável, mas pode eventualmente não acontecer. 
 
Isso porque, apesar de contaminado, o vírus presente no mosquito pode estar ainda em período de incubação que dura, em média, dez dias. Só depois desse período ele pode ser transmitido, o que pode acontecer várias vezes durante o ciclo de vida do mosquito, de cerca de um a dois meses Leia mais Divulgação/Folha Imagem
 
Ela enfatizou que o governo está concentrando esforços na retirada de lixo, principalmente nas regiões administrativas de Ceilândia, Taguatinga, Sobradinho 2 e São Sebastião, que apresentam os maiores números de casos em 2013.
"Estão sendo feitos mutirões todos os dias nessas regiões e reforçadas as ações de conscientização da população. Somente em Taguatinga, na semana passada, foram retirados 15 mil metros cúbicos de lixo de dentro das casas, volume suficiente para encher 12 caminhões de lixo", disse.

De acordo com Marília Cunha, trata-se de uma situação "extremamente preocupante". Ela ressaltou que cerca de 80% dos focos do mosquito Aedes aegypti estão dentro das residências. "Por isso é fundamental que a população se envolva nesse combate e separe dez minutos do seu dia para eliminar esses focos", destacou.

A subsecretária de Vigilância à Saúde do Distrito Federal lembrou que foram disponibilizados kits rápidos para diagnosticar a doença em todas as unidades da rede.

"Essa é uma boa notícia, porque em 20 minutos é possível conhecer o resultado e, se a doença for confirmada, o paciente sai da unidade [de saúde] para o tratamento. Ele pode ficar sob observação e fazer testes complementares para verificar os órgãos atingidos, evitando complicações", disse.

No estado de Goiás, houve aumento de 682,91% nos casos de dengue notificados até 16 de março, em relação ao mesmo período do ano passado. Até a 11ª semana de 2012, foram confirmadas 9.652 ocorrências. Em 2013, também nas 11 primeiras semanas, os casos somam 75.567.

No Distrito Federal, houve 957 confirmações da doença de 1º de janeiro a 20 de março. O número é 75% maior do que o registrado no mesmo período de 2012.
 
  • Arte/UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário