Páginas

sexta-feira, outubro 25, 2013

Está endividado? Haroldo Monteiro

Siga as 5 dicas para dar a volta por cima e resolver este problema

Na semana retrasada falei aqui sobre um dos maiores problemas que está afetando muitas famílias brasileiras: o alto endividamento e comprometimento da renda com diversas prestações a pagar. Muitas das vezes esta situação é a causa principal de problemas graves de stress, dissoluções de famílias e etc.


Assim, para abordar esta atual situação pela qual muitos Brasileiros estão passando, convidei o especialista no tema Ronaldo Gotlib, advogado e palestrante, proprietário da Gotlib Advogados Associados e escritor do livro sobre o tema: "Dívidas? Tô Fora - Um Guia para Sair do Sufoco".


Atualmente o percentual de famílias endividadas no Brasil é um dos maiores já apurados. A inadimplência continua em patamares altos e muitas pessoas não têm mais condições de pagá-las. Ronaldo traz 5 dicas importantes de como os endividados devem proceder nestes casos:


1 - A inadimplência estacionada em níveis elevados e o grande endividamento das famílias (+ de 64%) mostram uma situação com graves problemas de endividamento. Qual a primeira dica que você daria para uma família nesta situação?
 
Conversa e transparência. A honestidade sobre a real situação das finanças familiares é o primeiro e o melhor passo para recuperar o controle dos recursos e sair do vermelho.
Muitas famílias acabam endividadas por viverem em absoluta distância a sua realidade financeira, em resumo, gastando o dinheiro que não tem.


2 - Uma das primeiras providências que uma pessoa deve tomar é negociar a sua dívida, alongando o prazo e reduzindo a taxa de juros. Gostaria de ouvir a sua opinião de como esta pessoa deve conduzir este processo de negociação?


Todo devedor deve estudar a maneira como se relaciona com o dinheiro e entender por que não consegue se equilibrar financeiramente. A partir daí, identificar o quanto precisa por mês para viver e o quanto pode dispor para quitar sua dívida. Qualquer negociação deve ser pautada na capacidade real de pagamento, sob pena de representar apenas uma maneira de postergar o problema e não de efetivamente resolvê-lo.


3 - Quais os direitos que uma pessoa endividada tem? Até onde ela pode ir nesta negociação?


O máximo que pode acontecer a um devedor é ser cobrado. Não existe prisão civil por dívidas no Brasil, exceto as dívidas de alimentos, mas estamos tratando de dívidas, como: casa própria, financiamento de veículos, cartões de credito, empréstimo consignado, e outras.

As empresas podem cobrar e negativar nomes, mas nada além disto. Importante ressaltar que dificilmente uma empresa cobra na justiça os valores devidos, sob pena de gastar muito e enfrentar um elevado risco de não receber. Resumindo: o endividado tem todas as condições para pagar o que deve dentro de sua realidade.


4 - Quais as atitudes que uma família deve tomar no sentido de não ficar endividada?
 
Voltamos a honestidade e a transparência. Aprender a viver dentro da própria realidade financeira e evitar a sedução das compras facilitadas. Compre o que puder pagar, e não avaliar simplesmente se as prestações cabem no bolso. Compre produtos, não acumule dívidas.

Uma dica importante: jamais use parcelamento de cartão de crédito em despesas rotineiras, como supermercados ou farmácias.


5 - Como resistir as tentações do consumo? Qual a melhor forma de consumir? Fazendo dívida ou juntando uma parte de seu salário até conseguir o valor do bem e compra-lo a vista?


Reitero o disposto na resposta anterior, ou seja, é preciso aprender a valorizar o dinheiro e a poupança, ou seja, acumular recursos para comprar o que cabe no bolso.

Uma dica simples para evitar desperdícios financeiros é antes de comprar fazer duas perguntas a você mesmo:

Eu preciso disto? Eu posso comprar isto?

A honestidade nesta respostas pode fazer a diferença entre uma saúde financeira positiva ou negativa.
 
E aí vai uma dica: Se você tiver paciência e puder esperar, economize um valor todo mês para comprar um bem, aplicando aos poucos seu dinheiro, desta forma conseguirá economizar os juros que você pagaria caso financiasse. Com esta sobra, você conseguirá comprar mais alguma coisa de seu interesse.

Após seguir as dicas, e renegociar suas dívidas, disciplina financeira é essencial!!! Se segui-la, terá uma vida mais tranquila e organizada daqui para frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário