Páginas

segunda-feira, janeiro 06, 2014

Flexibilidade + Humildade = Aprendizado por Rosimeire Zago

O que mais ouvimos nas relações com as pessoas são queixas pelos mais diversos motivos; uns porque o dia está frio ou calor demais, outros pela crise que estão passando no relacionamento afetivo, problemas no trabalho, doenças na família, conflitos com os filhos, enfim, parece sempre haver motivos para muitas lamentações. 

Sim, há pessoas que vivem a vida assim, sempre se lamentando, como se fosse um velho hábito do qual não conseguem se libertar. Quem convive com essas pessoas sabe muito bem o quanto transmitem algo ruim, e quem sabe você mesmo não se reconhece como uma delas. 

Parece que para essas pessoas nada dá certo, tudo que acontece sempre podia ser melhor. Podemos dizer que são os eternos insatisfeitos. São rigidamente exigentes, consigo mesmo e mais ainda com os outros. E como deve ser sofrido viver assim, sem satisfação, sem alegria, sem prazer.

É evidente que todos nós passamos por momentos difíceis dos quais não é possível sorrir, mas será que mesmo nesses momentos não conseguimos obter algum aprendizado? Será que se conseguirmos ampliar nossa visão limitada não podemos aprender algo e com isso sofrer menos?
Pense no problema que está enfrentando nesse momento, seja qual for. Agora pense qual pode ser o aprendizado contido nessa situação. Muitas vezes, enfrentamos situações já conhecidas, exatamente pelo fato de não pararmos para buscar aquilo que podemos aprender quando elas acontecem e, assim, a situação pode retornar, ainda que de outra forma, mas com a intenção de nos fazer aprender algo. Cada um tem suas próprias lições, e da mesma forma, cada um tem seus próprios aprendizados, mas é preciso estar atento para que essas lições não passem despercebidas e retornem.

Ao refletirmos sobre a psicossomática, ciência que estuda a relação entre as doenças e o estado emocional, podemos perceber o quanto as doenças surgem como verdadeiros ensinamentos, desde que a pessoa consiga percebê-los. O aprendizado é tão importante, que quando a pessoa consegue senti-lo, dizemos que está no caminho da cura. É quando a mensagem contida é compreendida e assim, não é preciso que se mantenha nem que se repita. Portanto, comecemos a desenvolver nossa sensibilidade para aprender, sempre!

Para aprender devemos estar abertos para exercitar nossa humildade e flexibilidade. Uma pessoa orgulhosa e arrogante dificilmente acredita que ainda há o que aprender, pois pensa saber tudo; da mesma forma uma pessoa rígida em seus valores e padrões tem muita dificuldade em aceitar as mudanças, querendo sempre ter o controle de tudo e todos. Não temos como saber tudo, pois estamos em constante processo de mudança e evolução, independente de idade ou do quanto já sabemos. Por isso, para que haja mudança, devemos ser flexíveis; e para aprender, devemos ser humildes. A arrogância, o orgulho e a rigidez são verdadeiros obstáculos para o aprendizado e conseqüente crescimento.

Volte ao seu problema atual. Pense se isso já ocorreu com você em outro momento de sua vida. Não é preciso que seja necessariamente a mesma situação, mas uma situação que despertou um sentimento semelhante ao que está tendo nesse momento. Muitas vezes, os acontecimentos são diferentes, mas o que sentimos é exatamente igual. Quando isso acontece é momento de parar e refletir. E aprender!

Agora pense sobre as situações passadas que lhe permitiram aprender algo, seja sobre si mesmo ou sobre a vida. Com certeza, descobrirá o quanto foi, e ainda é, capaz de superar os momentos difíceis, principalmente, se identificar o ensinamento que lhe trouxe. 

Você pode pensar que tais situações lhe trouxeram também muito sofrimento, mas desde quando, nós seres humanos, aprendemos algo quando está tudo indo bem? Quando situações e pessoas caminham conforme esperamos, nada muda, pois tendemos a não parar para pensar e nos acomodamos. 

Geralmente, só refletimos um pouco mais sobre nossos valores, e como estamos conduzindo nossa própria vida, quando surge uma doença com nós mesmos ou com quem amamos, quando há uma perda por falecimento ou separação, enfim, quando acontece algo que nos faz sofrer e, forçosamente, nos faz pensar. Do contrário, vamos vivendo sem muitas reflexões, questionamentos, sem mudanças ou crescimento. Todos nós resistimos a sair de nossa zona de conforto, por pior que as coisas estejam. E ao agirmos assim é que os conflitos se mantêm, a insatisfação se torna crônica, o sofrimento permanece e as doenças surgem. Seja qual for a situação que esteja enfrentando, seja ela conhecida ou não, procure buscar a mensagem que lhe traz e em conseqüência, o aprendizado.

Quando conseguimos obter isso, é como se deixássemos claro ao Universo que já aprendemos essa lição e que não precisa mais retornar. Mas que saibamos que outras lições virão, e da mesma maneira que hoje podemos superar sem desespero ou lamentações, teremos cada vez mais a certeza que tudo acontece para que possamos crescer e subir mais um degrau nessa escada sem fim de nossa evolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário