Páginas

quarta-feira, junho 24, 2015

Discutir fim do relacionamento ajuda na recuperação emocional

Terminar um relacionamento amoroso é realmente algo difícil de fazer. E a recuperação desse rompimento pode ser ainda mais difícil e demorada. Normalmente os amigos tentam consolar quem está "na fossa" aconselhando a esquecer o "ex" - ou a "ex" - e olhar para a frente. Mas uma nova pesquisa sugere que refletir repetidamente sobre um rompimento na verdade acelera a recuperação emocional.

"Rompimentos acontecem com todos - a maioria dos adultos já experimentou pelo menos um em sua vida - e são tipicamente muito angustiantes," comenta a Dra. Grace Larson, da Universidade Northwestern, que fez o estudo em colaboração com seu colega David Sbarra, da Universidade do Arizona, ambas nos EUA.


Repisando


Há muitos estudos sobre o rompimento de relacionamentos, mas Larson e Sbarra queriam saber se as próprias técnicas de investigação não estavam afetando os participantes, uma vez que, durante os estudos, os voluntários precisam ficar "repisando" o fim do relacionamento à exaustão.


Uma preocupação que eles tinham era se os estudos poderiam estar prejudicando os participantes, conta a Dra. Larson: "À primeira vista, pode parecer que lembrar repetidamente aos participantes que eles tinham acabado de terminar - e pedir-lhes para descrever o rompimento de novo e novo - poderia retardar a recuperação."

Mas a dupla ficou surpresa ao descobrir o efeito oposto.


Conceito de si mesmo


Os voluntários que completaram o conjunto mais intensivo de tarefas e participaram de sessões quatro vezes ao longo de 9 semanas tiveram melhor recuperação global dos seus rompimentos do que os voluntários que foram entrevistados sobre o rompimento apenas no início e no final do estudo.


Os pesquisadores encontraram benefícios sobretudo no que eles chamam de "reorganização do conceito de si mesmo", o processo de se ver e definir-se como alguém separado do ex.


A mesma equipe já havia documentado que o fim de um relacionamento altera a percepção de si mesmo, e agora foi além, mostrando que é essencial perceber-se "um separado do outro", dando uma perspectiva de afastamento que ajuda na recuperação. Pedir aos participantes para refletir sobre suas relações ajudou-os a "construir um forte senso de quem eles eram como pessoas solteiras," concluiu Larson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário